COMO NASCEU

A ABSOLUTO nasce de um sonho de três amigos, apaixonados pelo Alentejo, que quiseram dar a conhecer ao mundo a enorme riqueza do Porco Preto de Raça Alentejana. Esta raça, historicamente preservada em Portugal, é única em todo o mundo e muito valorizada pela sua autenticidade.

 

MODO DE PRODUÇÃO

Mas o segredo da elevada qualidade dos produtos ABSOLUTO deve-se não só à pureza da raça dos animais, mas também à sua criação em regime extensivo e tradicional onde todos os animais nascem em contacto com a natureza, são criados em montados arborizados, e se alimentam de produtos naturais.

Como resultado da criação na natureza e tendo comido ervas e bolota essencialmente, o porco fica mais musculado e a gordura infiltra-se na sua própria carne.

 

Quando se come aquele presunto, sente-se a gordura a derreter nos dedos – é uma gordura natural, saudável para o coração e anti-oxidante"

A MONTANHEIRA

Nestes Montados Alentejanos - verdadeiros paraísos ecológicos de sobreiros e azinheiras - os animais percorrem cerca de 14 Km por dia e se alimentam de forma livre e exclusiva de bolotas e ervas que encontram à sua passagem.  Esta é a fase mais importante no que diz respeito à composição da gordura já que esta raça tem a característica de infiltrar gordura intra-muscular. Assim se explicam as nervuras marmoreadas que dão à carne uma untuosidade e textura únicas, e um paladar e aroma inconfundíveis.

A CURA

A cura é a última fase, mas requer também grande atenção. O tempo de cura varia consoante o tamanho das peças, mas pode-se estender até aos 40 meses, no caso dos presuntos e os 30 meses no caso das paletas. É um processo artesanal, lento e natural, feito em zonas de microclima cuidadosamente seleccionadas.

 

E assim, com o máximo rigor no controle de todo este processo, conseguimos garantir a plena satisfação dos nossos clientes, oferecendo-lhes um produto ABSOLUTO!

DSC01813-HDR.jpg

BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE

Efeito benéfico sobre o colesterol no sangue

Os nossos animais, alimentados quase exclusivamente de bolotas e ervas têm mais de 55% de ácido oleico (monoinsaturados) na sua carne. Sabemos que apenas o azeite virgem tem um teor de ácido oleico tão elevado, e estudos científicos rigorosos demonstram que estas gorduras produzem um efeito benéfico sobre o colesterol no sangue, aumentando a taxa de colesterol bom (HDL) e reduzindo da taxa de colesterol mau (LDL).

Uma gordura "cardio-saudável"

A proporção total de ácidos gordos insaturados na gordura dos nossos porcos é superior a 75%, tornando-a a mais "cardio-saudável" de todas as gorduras animais e até de algumas gorduras de origem vegetal.

Uma fonte de proteínas, vitaminas e ácido fólico

Para além dos benefícios sobre a saúde cardio-vascular, os produtos ABSOLUTO fornecem proteínas, vitaminas B1, B6 e B12 e ácido fólico, extremamente benéfico para o sistema nervoso e a função cerebral.

Os produtos ABSOLUTO são também ricos em vitamina E, um poderoso antioxidante e em minerais, como o cobre, que é essencial para ossos e cartilagens, o cálcio, o ferro, o zinco, o magnésio, o fósforo e o selênio, este último intimamente ligado ao factor anti-envelhecimento.

 

Sabemos também que 100 gramas de presunto alentejano possuem menos de 250 kcal, pelo que o consumo moderado não prejudica as dietas baixas em calorias. É também um excelente substituto para a carne vermelha, já que as mesmas 100 gramas de presunto contêm 43 gramas de proteína.

 

Uma boa opção para uma dieta saudável

Assim sendo, poucos alimentos tão versáteis no seu consumo poderão ser incluídos numa dieta saudável e equilibrada, como é o caso do presunto de porco alentejano ABSOLUTO.

 

O mérito de todos estes benefícios deve-se à nossa raça Alentejana, ao cuidado que imprimimos na sua alimentação e criação naturais e à exigência e dedicação que conferimos à produção dos produtos nacionais ABSOLUTO.

"Devido ao seu alto teor de vitamina B1, o consumo de presunto ajuda a superar o stress e a ansiedade

"Os alimentos ricos em vitamina B1 ou tiamina, como esta carne, são altamente recomendados durante os períodos de lactação ou durante os períodos de convalescença. pois nesses períodos há um desgaste maior dessa vitamina